15.1.09

A flor da tua loucura

Anteparo;
Paro
Diante desse absurdo;
Surdo,
Perdido nesse abandono;
Dono
Da flor dessa tua loucura;
Cura;
Passa de mim tão distante;
Ante
Ao rosto do cruel destino;
Tino;
Julguei-te tão apaixonada;
Nada;
Só essa dor nauseabunda.
...



Frederico Salvo
************************
Direitos efetivos sobre a obra.

4 comentários:

Poemas e Cotidiano disse...

Uma poesia cheia de dor, sentimentos tao
comuns ao ser humano.
Acredito que todo mundo ja teve esse "absurdo surdo", em que a razao nunca prevalece.
Mas como tudo nesse mundo, essa dor sempre
passa.
Alias... "tudo passa"...

Beijos
MARY

manzas disse...

Interessante este seu poema… Gostei.
Um resto de uma boa semana…

O abraço…

Sonia Schmorantz disse...

Que julguei apaixonada...é sempre assim, quando nos apaixonamos não sei porque imaginamos que sempre é recíproco, acho que é o reflexo da nossa paixão que nos engana.. Mas é um belo texto.
Abraço

PATRICK REIS disse...

Que belo poema, cheio de amor e criatividade. Dou-lhe meus parabéns pela forma autêntica que você escreve, passando um sentimento de paz, alegria e reflexão aos seus leitores... Muito bom, espero que continue a escrever. Peço-lhe engradecidamente que visite meu blog também, lá posto alguns dos meus poemas e alguns textos comentados por mim que relaciona a minha vida. Obrigado, e parabéns!