10.5.09

Ausência (indrizos conjugados)


  I

 O que tens a me dizer agora

Que já vai alta e avançada a hora

E as nossas almas tanto se confundem?

 

Se ao calar-me surge o teu nome

E um calor em brasa me consome

Sob as lembranças todas que nos unem. 


No quarto as horas, em insônia, voam. 


No dorso meu as noites se amontoam.

  

 I

E eu que nem sombra sou de Atlas,

Pra sustentar a noite e estrelas altas

E nem a lua cabe em meu sorriso,

 

Fico a rolar pelos lençóis, insone,

Qual pena leve n’olho do ciclone,

Perdendo o sono ao soar dos guisos.

 

E os latidos dos cães ao longe ecoam;

 

E as horas todas no teu mar escoam. 

 

 III                                   

 

Pelas marolas vão meus pensamentos,

Como jangadas ao sabor dos ventos

Que atormentados sopram-lhes as velas.

 

Em plena madrugada vou singrando,

Os ventos irascíveis vão uivando

Nos meus ouvidos, alto, o nome dela.

 

As horas todas feito vagas soam.

 

Na arrebentação rugindo me atordoam.

  

  IV

 Agora em meu leito como náufrago,

Sentindo, da ausência, o toque áspero,

Vou recolhendo o que restou de saldo:

 

Uma imensa dor, um modo trôpego,

No rosto opaca cor, um pulso rápido...

O que sobrou de mim sob o rescaldo.

 

As horas todas queimam, incendeiam;

 

As minhas cinzas soltas devaneiam.

 

 

Quando ao amanhecer a brisa leve

Me presenteia com um sono breve,

Vejo-me em sonho a beijar-lhe a face...

 

E a penumbra ganha colorido,

E o meu olhar se enche de sentido

Sobre o calor divino desse enlace.

 

As nossas horas todas se confundem

 

Sob as lembranças tantas que nos unem.

 

 

                            **********

 

 

5 comentários:

DELIRANTE disse...

Frederico,
Porque temos que sentir assim, com tanta intensidade?
Quando leio algo assim, tnho quase sempre o pensamento de que somos o grandes "fingidores da dor", que realmente: sentimos!
Beijo,
Koka

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO FREDERICO, MAGNÍFICO POEMA... ADOREI AMIGO!!!
ABRAÇOS DE CARINHO,
FERNANDINHA

Liliana G. disse...

Las ausencias se hacen compañía de la mano de tus versos, sentimientos que te afloran y yo me llevo conmigo.
Un beso muy grande, amigo.

Anônimo disse...

Fred: maravilhoso! Essa estrutura-indrizo- 3-3-1-1 - é muito leve e bonita. Acabei descobrindo o que é! Abraços,Taliah.

Carla por dentro disse...

È em grandes desencontros que se tecem as maiores palavras.
Sente-se sempre mais a ausência e a lembrança do que as pequenas alegrias.
Deveriamos viver intensamente quando ainda temos por perto o que um dia se pode perder.
:)