30.5.09

Desejo


À espreita de ti o meu desejo,
Que floresce à sombra da libido
Por esse teu ar desprotegido,
Mergulhado em profundo pejo,
Traz um arrepio estonteante,
Capaz de deixar paralisado,
Perdido, tonto, hipnotizado
Esse teu poeta delirante
Que por mais que queira não consegue
Esquecer-te a beleza pujante
Que embriaga a quem quer que seja.
Digo-te já: Eu me encontro entregue,
Porque vai nesse meu peito arfante
Esse coração que a ti deseja.


Frederico Salvo
**********************************
Direitos efetivos sobre a obra.

4 comentários:

Liliana G. disse...

Bellísimo canto, con la fuerza arrebatadora del deseo y los colores de la pasión en cada verso.
Una nueva obra de arte de un poeta excepcional.
Muchos besos querido amigo.

O mar me encanta completamente... disse...

Ahhh o amor...
Tema para poemas como este.
É difícil tentar encontrar as
palavras que venham descrever
sentimentos, tão indecifráveis.
Mas você conseguiu.
Não só as encontrou como as
expôs em harmonia.
O canal foi tão bem formado,
tão estreito está, que sentimos
na pele a emoção se traduzindo
em palavras.
Enternecedor!!!

Beijinho

Glória

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO FREDERICO, SUBLIME POEMA AMIGO... ADOREIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII, VOTOS DE BOM DOMINGO,
ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Diana Balis disse...

O enlace do amor fluindo arrebatador no destempero, gosto, calor, a vida segue paixão. Beijos.