22.8.10

Das incertezas do amor - II -


Finjo não ver teus defeitos
Ultrapassando a largura dos ombros.
Abro os braços e abraço-te plenamente,
Imbuído de profundo e sincero afeto.
Afinal os teus dedos me vão além da epiderme.
Só eles perpassam a fáscia e os músculos
E exploram os meandros da minha alma.
Defeitos?! Decerto todos os temos,
Mas fecho meus olhos a eles.
Sorrio um sorriso quase franco
E escondo as miudezas que me fazem pensar
Que posso estar enganado.
Poderiam soprar em meus ouvidos
Que haveria de ter sido mais feliz
Se tivesse me dado àquele amor primeiro.
Te amo porque me é seguro que seja assim.
Ao som das canções que emolduram o nosso passado,
Nossas fotografias mostram olhares iluminados.
E hoje tenho a profunda convicção
De poder dizer-te: Somos felizes?


Frederico Salvo

4 comentários:

REGGINA MOON disse...

Fred,

Belo texto...concordo que muitos ainda sentem-se dessa forma, com um certo comodismo...fechando os olhos aqui e ali, em favor de um relacionamento que por vezes não existe mais...e sempre adormecendo naquela dúvida solitaria...__"Será que vale à pena?Ainda existe Amor?" ...para despertar e começar tudo outra vez...

Um grande beijo...Boa Semana!

Reggina Moon

Frederico Salvo disse...

Reggina, querida.
Muito obrigado por mais essa presença.
Bj.
Fred.

Renata Fagundes disse...

comovente..verdadeiro..leve..franco
olhar para tras e ter a certeza que valeu a pena

o amor pra mim é isso..feito da simplicidade do dia a dia

beijos cintilantes

Frederico Salvo disse...

Olá, Renata!!
Grande prazer recebê-la aqui no meu cantinho.
Seja bem-vinda.
Fred.