14.7.10

Murmúrio


Mais uma vez uma pedra no caminho,
Como dissera o poeta.
Mais uma vez esse choro travado
E ninguém para adivinhar-lhe o gosto.
Só eu.
Mais uma vez a sisuda face
A olhar-me silenciosa e calma,
Uma lâmina a transpassar minha vida.
E por mais que me pareça esquecido,
Aí está novamente o passado
A roer-me o queijo.
Mais uma vez a impressão
De que tudo não faz o menor sentido
E que desenvolvo-me
De acordo com as pedras que vão surgindo.
Sou água submetida aos obstáculos.
Mas hoje quero que esqueças de tudo isso.
A ti quero dar apenas,
Nessa noite,
O murmúrio feliz do meu regato.


Frederico Salvo


4 comentários:

Anônimo disse...

São as pedras no caminho que dão sentido a vida, Fred.
Já estava com saudades de ler-te, meu poeta lindo.
E olha, espero que esse descontentamento seja somente nos versos.
Bjos
Clarisse

frederico salvo disse...

Que bom que veio Clarisse. É sempre um grande prazer recebê-la. Bj.

Solange Maia disse...

que LINDO poder ouvir-te...

ainda mais incríveis ficaram tuas palavras...

e esse bem querer que faz a pedra tornar-se degrau... que lindo isso...

beijo

frederico salvo disse...

Solange!
Que bom poder acordar no domingo pela manhã e encontrar por aqui o seu comentário. Fico muito feliz por ter gostado. Volte sempre, pois é sempre um enorme prazer recebê-la.
Bj.