9.10.09

O país do faz pra mim


Ah! Que triste fim. Que triste fim.
Viver no país do faz pra mim.
Lá tem ovo, tem mandioca,
Tem batata e amendoim,
Mas não tem sopa, nem paçoca,
Não tem purê, nem quindim.
É o país da riqueza,
Dos tesouros no jardim,
Mas falta feijão sobre a mesa,
Sobram preguiça e capim.
Lá tem calor à vontade,
Tempo bom e eterno assim,
Mas falta a luz da verdade,
Há um breu maior enfim.
Tem o progresso por conduta
E igualdade por fim,
Mas com tanto filho-da-puta
Roubando; Será que sim?
Eu faço a denúncia em verso,
Pois prosa não é pra mim.
Por isso, amigo, te peço:
_Piedade! Faz pra mim?


Frederico Salvo
***********************************
Direitos efetivos sobre a obra.

2 comentários:

Claire disse...

mto legal parabens!!

wwww.anatomiadopensar.blogspot.com

RaSena disse...

olá, Frederico
que forma de denunciar mais poética e ao mesmo tempo tão real....
bom final de semana.
abraços,