5.9.09

Simplicidade


O estômago ronca ao meio-dia.
_ Hora da bóia! – Grita Maria. –
E a criançada desanda ladeira abaixo.
Comida simples, pessoas simples;
Nada de mais simples havia.
Tocava profundo a verdade:
Bem melhor simplicidade
Do que barriga vazia.

Frederico Salvo
*****************************
Direitos efetivos sobre a obra.

2 comentários:

Liliana G. disse...

¡Hola Fred! Una imagen tierna la de las cosas simples, esas que se saben apreciar cuando no se tiene nada.Cuánta verdad...
Tus versos le ponen magia hasta a lo que parece no tenerla.

¡Bellísimo!

Un fuerte abrazo, querido amigo.

RaSena disse...

olá, Frederico!
a vida é simples e as coisas mais simples é que trazem mais felicidade - nós é que complicamos tudo!!!
tenha uma boa semana!
abraços