28.10.10

O rastilho da pena (poema musicado)

Olá, amigos leitores.
Gostaria de encerrar o mês de Outubro, trazendo um poema do meu amigo e poeta José Silveira, que é também um leitor desse blog.
Tive a felicidade de musicá-lo e deixo aqui para a apreciação de vocês.
Agradeço pela presença.
Abraço a todos.




extraído do poema "Séricos I" de José Silveira
Música: Frederico Salvo
**************


Sempre ardo em febre
possuído por tantas palavras.
Nunca soube ao certo
o que escrevo

apenas assisto
o rastilho da pena

queimando o papel
gravando os versos
com riscos de fogo.

Mas ela veio
e me disse baixinho:
Não acredito que escrevas somente,

Acredito sim; “que pinta palavras
com cores quentes, as rimas febris
nesses versos ardentes...
palavra que cega-me,
mas fica.”


Todos os poemas estão protegidos pela Lei dos Direitos Autorais N.o 9.610/98. O uso não facultativo - total ou parcial - dos textos exibidos será tido como crime de plágio.

Um comentário:

Franklin Couto disse...

Tanto a poesia quanto a musicalidade são bastante sutis!

parabéns ao poeta e parabéns também ao compositor!

Bravo!