7.11.09

Imperfeito


Pudesse desfazer o que foi feito.
Tivesse como ter o que não posso.
Se fosse qualidade o meu defeito
E o drama de viver não fosse nosso.
Se Cristo fosse o próximo eleito
E a perna alcançasse além do passo.
Se não houvesse tanto preconceito
E a vida afrouxasse um pouco o laço.
Seria eu o mesmo que escreve
O desconsolo num soneto breve?
Seriam assim as linhas que eu traço?
Melhor que seja mesmo desse jeito,
Pois tudo o que no mundo tenho feito
É por não ser perfeito que o faço.

Frederico Salvo




****************************************
Direitos efetivos sobre a obra.

5 comentários:

RaSena disse...

Que lindo, Frederico, o retratar de nossas imperfeições, e, mesmo com elas somos felizes.
bom final de semana!
abraços,

Sonia Schmorantz disse...

Este poema tem uma mensagem especial, muito bonita...são nossas imperfeições que nos fazem gente de verdade!
Um abraço, lindo domingo

Sonhadora disse...

Muito bonito este poema.Gostei muito.Vou voltar mais vazes.
Abraço
Sonhadora

Anônimo disse...

Fred, seus versos são perfeitos mediante às nossas imperfeições.
Sua escrita é incrivel.
Deixo aqui minha admiração.

Beijos meu poeta lindo.
Clarisse

Liliana G. disse...

¡Hola querido amigo, Fred! No importa cuánto tiempo pase sin venir, cuando lo hago me encuentro siempre con la sorpresa y la magia de tus versos.
Somos imperfectos, sí, y gracias eso somos quienes somos...
¡Bellísimo!

Un beso muy grande.

(Aunque el tiempo me amarre para no dejarme venir a verte, siempre estoy, te pienso y te leo con los ojos del corazón.)