25.7.09

Revelação


As palavras vagam solitárias, desconexas...
Num oceano imenso, sem destino e sem compasso;
Vêm sem direção, qual folhas secas no espaço
Que o vento sopra, que o vazio faz reflexas.
O poeta sofre por não ter nas mãos o fio
Que conduziria ao desnovelo da meada.
A inspiração, sempre presente, não diz nada...
Muda, quieta, fria, solo seco no estio.
Mas uma semente que outrora foi jogada
Por mão displicente, por escolha ignorada
Fez-se broto novo nas ranhuras do incerto.
E pra quem não tinha nem um pingo de ventura
Revelou-se a dádiva em feliz semeadura
Que mesmo apartada, fez-se fruta no deserto.


Frederico Salvo
*************************************
Direitos efetivos sobre a obra.

10 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Um lindo e introspectivo poema...como fruto no deserto, a poesia é o alento, a paz que buscamos.
Lindo domingo
um abraço

RaSena disse...

olá, Frederico!
muito lindo e, apesar de desejarmos o fio da meada de nossos destinos, melhor que ele esteja bem embaraçado senão, tudo perderá o sentido.
obrigada por sua visita, tenha um domingo com muitas alegrias.
abraços com carinhos...

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO FREDERICO, MARAVILHOSO POEMA AMIGO... A IMAGEM SUBLIME... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Stella Tavares disse...

A lindas imagens nos conduziu o seu poema. Forte,sensível,surpreendente. Benditas palavras que têm o dom de encantar!
Parabéns!

Liliana G. disse...

Las palabras que brotan de tu alma nunca vagarán solitarias, son el tesoro que descansa en tus versos y me llegan para quedarse.

¡Bellísimo, Fred! Un poema con la fuerza del viento, de tu viento...

Besos, querido amigo.

angel disse...

Que bom que o poeta não tem nas mãos o fio para desembaraçar o novelo da vida.
Os sentimentos quando mais emaranhados torna mais fecunda a terra da poesia.
Viva a poesia da vida, viva a paixão dos poetas.
Grande abraço
Angel

Osvaldo disse...

Oi, Frederico;

Esta bela e imaginativa poesia, é quase como um grito de alerta para para um futuro incerto.
Mas também a incerteza do futuro tem seu lado místico e belo e o Frederico bem retrata neste seu poema...

Um grande abraço, amigo Frederico.
Osvaldo

Chá das Cinco disse...

Olá Frederico!
Estou conhecendo o teu espaço,
encantador.
Deixo aqui um convite, me visite.
Tomara que goste do Chá das Cinco,deixe a tua opnião ok?
Se gostar muito...fique.
Eu já estou aqui contigo.
Um abraço.

REGGINA MOON disse...

Frederico,

Penso que os Poetas devem sempre ter algo a ser revelado, aos poucos, em suas inspirações diárias...

Maravilha!!

Beijos e gosto muito de suas visitas!!Grata,

Reggina Moon

"Todas as manhãs, quando abro
a janela do meu quarto, é como se
abrisse o mesmo livro
numa página nova."

(Mario Quintana)

Anônimo disse...

Fred: gosto muito desse poema, Revelação, que fala da própria poesia e de seus emaranhados. Abs, Taliah.