26.4.09

Tesouro fugidio


À sombra leve um coração vadio
Queima a doce chama albergada.
Entre as paredes de um quarto frio
Paira a imagem da mulher amada.
E ele bate intenso em desvario;
Bombeia sangue em plena madrugada.
Esbofeteia o peito e por um fio
Retumba a vida. Arde compassada
A esperança plena de um dia
Beber da fonte alva que sacia
A sede de quem vive atormentado
Pelo amor: tesouro fugidio,
Que é dele a clava forte e desconfio
Não ter no mundo bem mais procurado.



Frederico Salvo

***********************************

Direitos efetivos sobre a obra.

3 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO FREDERICO... BELO POEMA, COM AQUELA QUALIDADE A QUE JÁ NOS HABITUAS-TE... SUBLIME AMIGO... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Liliana G. disse...

¡Bellísimo! Las penas del corazón arrancan los versos más sentidos, más emotivos y más puros.
Es un verdadero placer leer tus poemas. Ni siquiera el idioma es una barrera para que los disfrute, hay un lenguaje que nos aúna a todos los que escribimos y es el lenguaje de los sentimientos.
Un beso muy grande Fred.

Anônimo disse...

Fred: apesar de vc ter mudado a forma, é um lindíssimo soneto. Como não se devem poupar elogios, mas derramá-los, sinta-se coberto das mais poéticas e expressivas palavras...Taliah