6.3.10

Seus olhos são os olhos do mundo


Seus olhos são os olhos desse mundo,
Perdidos nos meandros dos meus versos.
E sabem como ir bem mais profundo,
Nas comas dos meus sonhos submersos.

Seus olhos são os olhos desse mundo
E podem enxergar, mesmo dispersos,
Na ínfima passagem d’um segundo,
A sede dos meus ditos controversos.

Seus olhos são janelas que convidam
À brisa do que sou a ir mais fundo,
Lutando contra o vento adverso.

E além das nuvens claras que navegam
No azul do céu (abóbada do mundo),
Seus olhos são os olhos d’universo.


Frederico Salvo

Um comentário:

REGGINA MOON disse...

Salvo,

Lindo Soneto!!

(...)Seus olhos são janelas que convidam
À brisa do que sou a ir mais fundo,
Lutando contra o vento adverso.
(...)

Maravilhoso!!Parabéns!

Grande beijo e ótima semana!

Reggina Moon