27.2.10

Ainda é festa


Dança, enquanto há no ar
fusas, semifusas e colcheias,
a romperem o silêncio.
Porque ainda é festa
mesmo que não pareça.
Dança, enquanto estão pintados
os rostos...
e os palhaços ainda estão em cena.
Por trás da coxia
Não é farta a alegria.
São mais humanos os palhaços.
Dança, enquanto são maleáveis
as articulações
E o corpo ainda obedece
aos teus passos.
Dança, enquanto há vivas e sorrisos
E mesmo que haja choro
Não te aflijas feito criança.
Tome a ti mesmo nos braços,
ouça o compasso...
E dança.


Frederico Salvo

2 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Lindo poema, dança enquanto existe, enquanto vives...
Um abraço, ótima semana

DEVA disse...

Achei seu blog por acaso. Procurava uma imagem sobre escolhas, alguma figura de placas ou caminhos para colocar no meu blog em construção sobre Serviço Social. E olha a surpresa!
Temos uma amiga de blog em comum, a Taís Luso!

Outra surpresa, completamente surpreendente..hehe... foi lê-lo.

A imagem encontrada apontava para o poema "Toda escolha tem preço". Incrivelmente triste e bonito. Um dos poemas mais lindos que já li.

Dei mais uma olhadinha...

"Dança, enquanto estão pintados
os rostos...
e os palhaços ainda estão em cena."

"Todos estão tão ocupados
Na proteção da própria pele."

Desculpe, não resisti!


Mais tarde passo para ler mais

Parabéns pelo blog

Beijos da curiosa

Deva