8.8.09

Sedimentos


Quando cessa o intenso movimento
Em que as águas turvas, ondulantes,
Dão adeus aos ventos fustigantes;
Vai ao fundo todo sedimento.
Onde não se via nada antes,
Vê-se agora, às mínimas do vento,
Na serena calma do momento,
Sob águas claras, deslumbrantes,
O que outrora, extremamente vago,
Na tormenta célere do lago,
Parecia mesmo inexistente.
Aquieta-te meu pensamento,
P’ra que eu possa ver sem sofrimento
O que vai em mim profundamente.


Frederico Salvo
**********************************
Direitos efetivos sobre a obra.

foto: www.mmcbrasil.com.br/ilustra/100408_agua5.jpg

5 comentários:

Liliana G. disse...

En lo profundo de tu alma vive el espíritu de un poeta, de un artista y de un hombre que con el poder de la pluma ahuyenta los sufrimientos y regala amor y amistad.

Precioso Fred, un cariño muy grande amigo mío.

Vivian disse...

...Fred querido,
há tempos que não passeio
pela tua casa.
mas ela continua linda
como sempre.

és um poeta de sensibilidade
ímpar.

parabéns, lindo!

bj

REGGINA MOON disse...

Frederico,

Bom receber sua visita e melhor ainda vir aqui ler-te...sempre!

Um beijo e que seu Domingo seja de paz e harmonia!!

Reggina Moon

RaSena disse...

olá, Frederico!
obrigada por seu comentário.
e, essa tristeza profunda que tens transmitido com tuas palavras, encantam, aquecem o coração.
tenha uma linda semana.
abraços

RaSena disse...

olá, Frederico!
fico feliz quando me visitas!
ah! se em nossas vidas tivéssemos mais momentos de calmaria para ouvirmos nossas mentes...
divaguei nas tuas palavras...
abraços