17.1.10

Pelas colinas da minha aldeia


Será que em ti ainda evapora
O humor bendito daquela bruma?
Será que quebram, a fazer espuma,
Algumas ondas como houve outrora?

Ainda acordas de madrugada
Com um verso meu a tirar-te o sono?
Tens a presença do abandono
Mesmo que estejas acompanhada?

Pois eu confesso que aqui campeia
Pelas colinas da minha aldeia
Essa lembrança que a mim consome.

Bem no recôndito d’alma mora
A acompanhar-me p’la vida afora
Essa saudade a gritar teu nome.


Frederico Salvo

Um comentário:

Matilde D'Ônix (Pseudónimo de Dolores Marques) disse...

Um aldeia distante será sempre um refúgio para todas as saudades que nos acompanham...


Frederico, A voz...adorei ouvir

Um beijo daqui

Dolores Marques