26.6.11

Louco


Haja visto que tudo o que norteia
E baliza a conduta dessa gente
Vai de encontro a essa chama que incendeia
O egoísmo que caminha sempre à frente.

Não que fosse assim desde o começo.
Pouco a pouco é que se vai forjando em brasa.
Nesse mundo em que tudo tem seu preço,
A inocência é enterrada em cova rasa.

Há quem, louco, nada contra a correnteza.
E essa força monstruosa desafia,
Compensando força bruta com leveza.

Desce o elmo e incorpora fantasia,
Hostilidade paga com delicadeza
E transforma desamor em poesia.


Frederico Salvo

3 comentários:

DEVA disse...

Que coisa linda!
É surpreendente como alguém pode transformar sentimentos em palavras, dar emoção a elas. Sério, como você faz? Para dizer tanto em tão poucas palavras?
Ler seus poemas é uma delícia. Peço humildemente para divulgar esse daqui. Tive uma alegria ao lê-lo, algo que não sei explicar.

Obrigada
Deva

DEVA disse...

Contra toda crueldade e ignorâcia, a ingenuidade e a cordialidade. Também a indignação de quem não se cala perante às injustiças
Esse poema me fez lembrar Dom Quixote e o profeta Gentileza. Em um mundo em que os poucos bons são considerados loucos.

Deixei um comentário a pouco, mas não disse onde queria divulgar seu poema.
Uma amiga minha está reunindo material para seu trabalho de conclusão de curso e gostaria de usá-lo como citação na introdução do trabalho.

Anônimo disse...

ACHO QUE TODOS NÓS TRAZEMOS NA ESCÊNCIA UM POUCO DE LOUCURA. QUANTAS JÁ COMETI....

E INTERESSANTE QUE FUI VENDO O TÍTULO DO POEMA, ME LEMBREI DA MÚSICA DO NEY MATOGROSSO, QUE DEIXO-A POR AQUI:


Balada do Louco
Ney Matogrosso

Dizem que sou louco por pensar assim
Se eu sou muito louco por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Se eles são bonitos, sou Alain Delon

Se eles são famosos, sou Napoleão
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Eu juro que é melhor não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu

Se eles têm três carros, eu posso voar
Se eles rezam muito, eu já estou no céu
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz

REFRÃO
Sim sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz

BEIJOS, MEU POETA LINDO!
CLARISSE